Arquivo da categoria: Honório Onofre de Abreu

EM NOSSA LUTA REDENTORA

Meus bons amigos: a Bondade do Senhor sobre nós!

Dos tesouros de amor e compreensão que o Evangelho nos oferece, a amizade sincera e ativa no bem de todos é, talvez, a mais alta expressão de nossa adesão à plataforma de Jesus!

Agradecendo, aqui, a ternura fraterna com que nos lembram os singelos esforços pela Causa, abraçamos, com alegria, nossa querida Darcy* e as meninas de nossa Acácia.

No trato com as fileiras do Consolador, encontramos duas frentes de operação e aprendizado, a saber:

. O serviço de esclarecimento e consolação devido aos que chegam nos grêmios espíritas, com sua gama de dores e infortúnios;

. E o conjunto que perfaz o Movimento espiritista, em sua feição de maiores responsáveis pela divulgação e pela administração dos recursos doutrinários, mediúnicos e evangélicos.

Cientes do que contém as Bases Espíritas, com Allan Kardec, capacitamo-nos a operar a nossa renovação moral, inspirando-nos no fértil desdobramento de concepções e experiências de melhor nível, então exposto por obras subsidiárias de nobres medianeiros.

O trato, porém, nesse âmbito dos seareiros que, de alguma forma, lideram as Casas e as instituições do Consolador, nos requisita maior reflexão e mais ponderação.

Egressos do ontem histórico, seja na esfera política ou da religião, nossa tendência, se invigilantes, é submeter os ensinos e práticas a nós propostos pela Doutrina dos Espíritos, aos hábitos e condicionamentos que nos estruturam o psiquismo – herança inarredável de reencarnações pretéritas.

À luz do espírito glorioso do Evangelho redivivo, geralmente nos associamos, numa forma de reencontro, com o sentido de revisar, de algum modo, nossos próprios conteúdos, ou melhor, nossas aquisições intelecto-morais.

É por essa razão, essencialmente, que lutamos tanto, entre ideal e personalismo, tanto quanto entre política e espiritualidade.

O Senhor, à frente desse território humano, marcadamente viciado e ainda inculto em relação à religião da Verdade, pinça os elementos que já são capazes de ajustarem-se à Grande Luz e os convoca, pelas circunstâncias, a atuarem em favor de grupos em aprendizado e em necessidades espirituais emergentes.

Nesse contexto, imperfeições, incoerências, desmandos, deserções, cristalizações são, naturalmente, notas de expiação e prova para os que se ressentem dessas práticas personalistas e egóicas, nada obstante o fulgor da Doutrina Espírita estar acima dessas ações e reações sem o lastro moral desejável…

Até mesmo nessa órbita de exercício e aplicação Espírita vamos encontrar as gradações morais de aproveitamento ou não da proposta redentora, prometida à Terra por Jesus…

O que fazer? – podem indagar os amigos.

Responderíamos: paciência e fé, perseverança e humildade.

Isto porque não há obra sem testemunho, como não existe corpo sem alma!

Chegará o dia, companheiros, em que a experiência dos que lutaram e deram o melhor de si, comporá efetivamente o Conselho orientador dos que administram circunstancialmente os interesses espirituais de todos.

E, nesse passo, o bom senso será o filtro das ações e decisões, porque o interesse pessoal, entre vaidade e presunção, terão desaparecido de nossas fileiras de aprendizado com o Senhor!

Que as bênçãos do Mais Alto nos fortaleçam!

Fraterno abraço,

HONÓRIO ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner Gomes da Paixão durante reunião pública do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 16 de abril de 2018).
* referência a Darcy Moreira Neves, trabalhadora espírita do Rio de Janeiro e acompanhantes, presentes na reunião).

TEMPO DE RENOVAÇÃO

Queridos irmãos, que o Senhor nos abençoe em nossos propósitos de evolução consciente e progresso moral!

O calor fraterno, oriundo da comunhão de pensamentos, permite se crie, neste ambiente, vigoroso oásis de entendimento e luz, de candura e consolação, a bem do mundo sofredor…

O Evangelho permanece por Céu da humanidade e todo esforço por valorizar-lhe os ensinos, em sua imortal sabedoria, significa a “volta” de Jesus ao nosso convívio.

Percebemos, com lamentos próprios à nossa condição espiritual ainda acanhada, o quanto os corações dos encarnados em nosso Brasil tem sofrido com as iniquidades e os desvios morais que pululam por toda parte…

Embora a grandeza da proposta espírita, a mentalidade humana insiste em submergir nos desvãos do personalismo, não sem evidentes prejuízos para o movimento de sua divulgação e de consolo junto às massas…

Sem dúvida, meus irmãos, trata-se do joio sendo reunido em molhos, para ser queimado. Os sinais dos tempos se projetam das circunstâncias e, obedecendo às Leis Divinas, são inevitáveis as consequências do fechamento de ciclo, em que as estruturas falsas e aparentes de uma moral sem fundamento vivo nos testemunhos pessoais, fazem esboroar os impérios das ilusões…

O Alto opera, neste momento, especialmente na Pátria do Cruzeiro, profundas e graves mudanças, de modo que não poderemos olvidar a “Lei de Destruição” inserta pelo Codificador na Parte Terceira de O Livro dos Espíritos.

E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça” – diz Jesus, “mas ainda não é o fim”*…

Nossa tarefa é transitar com proveito, onde e com quem estivermos.

O estudo doutrinário, tendo por meta a compreensão e a consequente interiorização do Evangelho de Jesus é nossa mais alta missão nestes tempos.

Ninguém deita remendo de pano novo em roupa velha”**. Entendendo isso, amigos, permitamos e operemos as transformações imprescindíveis, começando em nós.

Nada a se perder, pois, após os escombros de tantas civilizações e de propostas existenciais, o Espírito de tudo triunfa, reorganizando a vida, entre experiências somadas e orientações de caráter divino.

Prossigamos com fé e união.

Recebam nosso abraço e sintam-se envolvidos nas vibrações de nossos maiores – solidários conosco e sempre presentes nas obras de regeneração da Humanidade!

Honório Onofre de Abreu

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner G. Paixão durante evento realizado no Abrigo Jesus no dia 10/02/2018, em Belo Horizonte, MG)

* Mateus, 24:6
**Marcos, 2:21

OPORTUNIDADE AO BEM

Queridos amigos, Deus abençoe a todos!

Da Terra sobe aos céus os clamores e lamentações acerca do tempo de transição que o globo vive.

Se existem orações sinceras e fervorosas, estribadas na confiança verdadeira no poder de Deus, há, em número muito mais avultado, as preces que mais parecem lamúria e revolta, inconformação e pedido de contas ao Criador, em razão das dificuldades e lutas em curso na crosta…

Esse painel mental, então vigente, tem revelado aos grandes orientadores da vida espiritual, o quanto o Cristianismo de Jesus ainda não conseguiu penetrar as almas e os corações, permanecendo, lamentavelmente, na esfera do convencionalismo e dos negócios materiais, que pessoas e templos engendram, numa superficial abordagem do Evangelho, impedindo o fluxo do progresso desejado.

Transição, meus amigos, é tempo de profundas transformações, e, por isso mesmo, é o tempo mais fecundo de se mostrar os genuínos valores da educação espiritual que Jesus Cristo legou ao nosso Mundo.

Há lógica no que afirmamos:

sem escuridão, a luz seria uma tese;

sem a terra escura e úmida, a semente seria uma incógnita;

sem o casulo de interiorização, a borboleta seria uma utopia;

sem atividade renovadora, em aspecto moral, o homem estaria ainda na Era do Sílex.

Líderes atormentados e injustos, são instrumentos de valorização da paciência e da caridade alheias;

Escassez financeira, gera atividade espontânea, em que a genialidade moral e ética se erigem;

Pobreza e flagelos humanos, desafiam o sentido humanitário das sociedades, fazendo fulgir soluções positivas na base do sentimento fraternal.

……………………………………………………………………………..

É tempo de dar ensejo ao bem e não apenas de engrossar as lamúrias dos preguiçosos e acomodados às ilusórias facilidades do passado…

Levantando semelhantes raciocínios, apenas reproduzimos algo do pensamento de grandes Benfeitores do Além, que, para demonstrarem a fragilidade da fé dos cristãos do Mundo, nos fazem lembrar que Jesus, para iluminar a Terra, escolheu a Manjedoura para nascer, elegeu a carpintaria singela de José para vencer a juventude e acolheu a miséria dos homens e mulheres para laborar, culminando, enfim, entre dois ladrões e sob o apupo do povo inconsciente, na Cruz gloriosa, em que seu coração amoroso se abriu para sempre, como meio de quebrar o domínio das resistências e do egoísmo, em favor de uma vida de alegria e paz no seio do excelso Pai!

Sejamos nós, os que oferecem, todo dia, oportunidade para que o Bem se mostre, por uma vida sempre melhor para todos!

HONÓRIO ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner Gomes da Paixão durante reunião pública do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 11 de setembro de 2017).

EM FAMÍLIA ESPIRITUAL

Meus amigos, paz pra todos!

Não há na Terra outra força de união e de sublimação de nossos potenciais, senão a do Evangelho – que pode ser interpretado por Vida de Jesus entre nós.

A alegria deste momento nos atinge na Vida Espiritual, porque o despertamento das consciências é o caminho da redenção humana.

Graças à perseverança dos trabalhadores – e nos incluímos entre eles –, a obra ganha autoridade moral, pois o tempo é o amigo da Verdade e,

depura para iluminar,

ilumina para santificar,

até que a felicidade se instale,

por efeito do Amor de Deus refletido com pureza pelo amor da criatura.

Prossigamos com devoção e sinceridade!

Em nome dos benfeitores que nos governam de Mais Alto, nós abraçamos a todos.

HONÓRIO ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner Gomes da Paixão durante reunião comemorativa do 25º aniversário do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 03 de junho de 2017).

ACEITAR E SEGUIR

Queridos irmãos, votos de harmonia e paz!

Os maiores entraves da vida, a nos comprometer a felicidade íntima, se prendem à inconformação e à revolta acerca dos acontecimentos que nos chegam no dia a dia.

No Espiritismo, aprendemos a ciência completa que nos faz sentir a Lei de Deus dando a cada um segundo as próprias obras.

E é por efeito desses estudos que conseguiremos fugir daquela inconformação enfermiça, compreendendo que todos estamos nos educando no plano dos sentimentos, com a colheita do que fizemos em outras reencarnações.

O passado se projeta no nosso presente e o que fazemos hoje, em termos de ação e reação, se projetará no nosso futuro.

A paciência apregoada pelo Evangelho de Jesus e a humildade de coração exemplificada pelo Mestre, são tesouros que nos fortalecem e nos iluminam diante das lutas depuradoras que devemos enfrentar.

Com fé e amor nenhum mal terá poder sobre nós!

Chega um tempo, quando passamos a estudar a mensagem de Jesus, que mesmo recebendo os golpes da maldade ou do desequilíbrio alheio, não mais reagiremos com ódio, ou mesmo desejando esse mesmo mal para o outro que não nos respeita, porque brotará de nossa alma a compaixão por aquela criatura.

O fato de estar vivenciando uma prova, não nos desqualifica. Ao contrario, isso demonstra que já possuímos estrutura moral para lidar com desafios que nos aperfeiçoam.

Aceitemos, assim, as vicissitudes da existência física com bom ânimo, para que jamais o nosso passo de progresso seja detido por revolta ou por inconformação.

Nesse sentido, a oração, em bases de boa vontade tem feito muito por nossa harmonização e nossa paz.

Sigamos sorrindo, confiando em Deus e em nossa capacidade de renovação interior!

HONÓRIO ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner Gomes da Paixão durante reunião pública do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 20 de março de 2017).

SINAL DOS TEMPOS

Diletos e saudosos amigos da Seara do Consolador: Jesus nos abençoe em nossa caminhada de redenção!

A Humanidade vivencia momentos fecundos que auguram o parto do tempo novo, em que o “Filho do homem”, vencendo os vícios e as limitações do homem velho, inaugura a Era da Fraternidade sob os auspícios da verdade evangélica, consoante o Divino Paracleto a reapresenta: pura e simples!

Compreendemos as ansiedades e os temores, os desgostos e os embates do egoísmo que teimam em bradar o seu látego de ignomínia e de corrupção, mas nada disso representa ameaça real para os corações relativamente amadurecidos, que buscam nas fontes dadivosas do Evangelho, a seiva de amor e perdão que positiva entre todos a caridade proclamada pelo Espiritismo.

Uma onda de poeira se levanta com a gradativa emancipação das almas; isso, porém, é a reação naturalíssima que caracteriza a transição planetária – essa antesala do templo da consciência desperta para Deus!

O que dizer, então, diante desse panorama apocalíptico, segundo os menos avisados? Trabalho íntimo, com alicerce nas ações regenerativas que o Consolador nos propõe.

Somente a companhia do Mestre, através do cultivo de suas lições definirá para nós a afinidade de sentimento, imprescindível à subida vibratória, para a consequente transformação do Mundo.

Recordemos, amigos, que nenhum vaticínio e nenhuma teoria mirabolante, poderá substituir o esforço pessoal dos grupos já amadurecidos para alavancamento da evolução planetária.

Em nossa esfera de ação, onde agora operamos ao lado dos Benfeitores que nos amparam desde muito, milhões e milhões de espíritos estão sendo trabalhados para o fenômeno da renovação.

As zonas abissais e as zonas intermediárias dos umbrais, vem merecendo o carinho dos anjos que auxiliam a Jesus na administração moral e espiritual do orbe, de modo que se trata de uma transformação profunda.

Existem dúvidas, inseguranças acerca dos movimentos físicos do globo? Afirmamos que tudo segue a ordem natural das leis que nossas ciências aí já estudam e revelam, mas, nada anormal ou catastrófico, a ponto de se dizer que será em tal data, ou será o fim de tudo…

Os sinais dos tempos estão na Terra, através da exaustão moral dos que já se saturam das mentiras, dos desvios, das ilusões.

Esses sinais dos tempos estão na Terra, através dos ensinos dos Espíritos Superiores, através dos Missionários do Amor, através da missão maternal e paternal bem cumprida, através do ardoroso lidador do bem que evangeliza as religiões dogmáticas e dos que sublimam os movimentos filosóficos, científicos e morais por toda parte.

A maioria dos Espíritos que retornam à lide física se constitui daqueles que já estiveram por aí, lutando pela própria depuração, e agora, retornam leves e lúcidos para viverem o néctar da Boa Nova em consonância com o que, sabiamente, de modo sintético, a Doutrina dos Espíritos ensina ao Mundo.

Bom ânimo, amigos! atendamos aos nossos encargos com valor e determinação!

A estrada se modifica, e é preciso não resistir à força das mudanças, tornando-as, em seu caudal, proveitosas a todos.

Elevemos o pensamento ao Senhor para ter Caminho, busquemos sentir o apelo Divino para ter Vida no coração, e sirvamos ao bem geral para seguirmos a Verdade!

A geratriz de nossos males reside nos desvios e nas negações, nas resistências e inconformações a propósito de tudo.

Deus multiplique forças e alegrias na marcha de todos os queridos amigos de nosso coração!

HONÓRIO ONOFRE DE ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner Gomes da Paixão, no Abrigo Jesus, em Belo Horizonte, MG, durante o encerramento do Encontro de Carnaval, promovido pelo CEAJE, na manhã do dia 28 de fevereiro de 2017).

SEGURANÇA ÍNTIMA EM TEMPOS DE LUTA

Meus amigos, votos de muita paz nas pelejas do dia a dia!

Por mais o Mundo físico se mostre ameaçador e instável nesta hora, estejamos certos de que a geratriz de todos os males transitórios reside nas instabilidades da nossa mente, quando dissociada da mensagem do amor que o Evangelho de Jesus, com sabedoria insuperável, demonstra à Humanidade há mais de dois mil anos.

As ondas estranhas, de natureza obsessiva e de expressão fria, zombeteira e cruel, somente atingem os corações que com elas se identificam, a partir de seu posicionamento no cotidiano da existência.

Nesse sentido, pequenas concessões são vesos de treva, vinculando as mentes ao simbólico dragão do materialismo e da usura – genuíno reino de Mamon que triunfa no egoísmo:

– Má-vontade para com a família;
– Negligências no tempo contratado pela profissão;
– Pessimismo crônico ou persistente acerca das provas naturais da evolução;
– Inadaptação ao concerto reeducativo que a vida definiu na reencarnação da criatura;
– Inveja e inconformação em relação ao que possui e ao que é;
– Maledicência contumaz sem a menor disposição de elevação moral;
– Preguiça generalizada, roubando do individuo os dons da produção útil e qualificadora;
– Alheamento religioso, negando a natureza divina da Criação por inércia moral;
– Imersão mental em vícios específicos, como fuga às lutas depuradoras e edificantes do caminho…

Amigos, somos os artífices da nossa felicidade ou de nosso infortúnio:
– Saúde e enfermidade;
– Miséria e prosperidade;
– Amorosidade e ódio;
– Medo e diligência;
– Simpatia e aversão.

São, em essência, escolhas pessoais segundo o esforço próprio no cotidiano das circunstâncias da vida.

Transição é dilúvio, tão intenso quanto o descrito pelo Antigo Testamento, por Moisés. O “aguaceiro” que faz submergir processos e experiências, sonhos e realizações, representa o acerto de contas que o tempo se encarrega de nos apresentar, individual e coletivamente.

Se no plano pessoal a sobrevivência material e espiritual parece desafiadora e exaustiva, em aspecto globalizado o mesmo se dá. O País fadado a vivenciar a Boa Nova, consoante nos foi revelado pelo Espiritismo, não poderia atingir seu objetivo se a Comunidade, nele reencarnada, não experimentasse à exaustão, com fins de saturação, os seus processos enfermiços e obsessivos, entre ambição e poder, vaidade e luxúria, irresponsabilidade e egoísmo aterrador.

As ondas desse “dilúvio” de forças psíquicas, que definem a Transição, revelam personalidades em tratamento e engole, sorve mesmo, tudo o que não expresse virtude e vocação superior.

O momento obriga pessoas e instituições a uma revisão imperiosa, porque o simulacro, então desmascarado e tão evidente para os de senso melhor, já não assegura nada, e tão só a Verdade do Evangelho, no coração, torna-se a luz que direciona, asserena, pacifica e faz feliz.

Não se trata mais de curral religioso, ou corrente filosófica ou política com tendências, é tempo de essencialidade, porque sistemas não mais serão blindados, e as consciências despertas balizarão, para os que triunfarem do dilúvio consumidor por seus esforços sinceros, o rumo melhor, com segurança e alegria.

O tempo gera circunstâncias para todos, mesmo para os infelizes que negam os favores da Misericórdia Divina, e, por isso, a Terra acalentará em novas bases os triunfadores, tanto quanto outro orbe acolherá em expressões infinitamente mais penosas e rudes, os afinizados com o materialismo, com os vícios morais, com a negação de tudo o que é sagrado no Universo.

– Bom ânimo! – recomenda-nos o Senhor.

Sejamos valorosos, onde, com quem e no que façamos, pois, o tesouro maior é salvar a própria alma, já que o Mundo tão disputado e tão marcado de ambição e morte – este sucumbirá!

Abraço fraterno a todos os companheiros que, como nós, ainda aqui na vida espiritual, buscam se renovar e seguir os passos do Excelso Amigo e Benfeitor de nossa Terra: – JESUS!

HONÓRIO ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner Gomes da Paixão durante reunião pública do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 21 de janeiro de 2017).

A LÍNGUA DOS ANJOS

Meus amigos, paz pra todos!

O mundo terreno, que se vale da linguagem humana para fixação da cultura de Humanidade, vem se saturando das palavras vazias, dos sofismas, tanto quanto dos falatórios que representam o envenenamento do verbo.

Das mais remotas civilizações aos dias atuais, a palavra – que guarda sublime função entre os homens – vem sendo conspurcada pelo vício das ambições e das vaidades, dos ódios e do desculpismo.

Mas, se a perversão lhe contamina e condena, a honradez a guinda à sua divina natureza, quando a palavra se converte em “língua dos anjos”.

Em nossas tarefas espíritas, existe a palavra comum, de conteúdo meramente informativo, como instrumento da instrução. É a palavra científica, filosófica, comparativa, narrativa, emoldurante, etc.

Mas acima da natureza meramente cultural da palavra Espírita, prevalece a palavra que enobrece, consola e santifica, conhecida no mundo espiritual por “linguagem dos anjos”.

Atrelada ao Evangelho de Jesus, seja repetindo-lhe os termos ou interpretando-lhes os ensinos, essa “língua dos anjos” não se detém em casuísmos; não se presta aos malabarismos linguísticos; não cria elitização cultural e nem se desmanda em teses abstratas quanto insossas…

A palavra sublimada, em nossa Seara Espírita Cristã, expressa a língua dos anjos exatamente porque desativa o mal, ensina a virtude, santifica a dor, conforta na luta, aponta rumos salvadores e ilumina pelo amor puro e caridoso de que se reveste.

O Consolador prometido por Jesus, por isso mesmo, não está na palavra instrutiva ou meramente informativa, muito menos nas teses constituídas por palavras de escolas duvidosas. Está, inteiro, na palavra que liberta e santifica em nome de Deus, porque então, é a “língua dos anjos” revelando aos corações a chegada do Reino Celestial!

HONÓRIO ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner Gomes da Paixão durante reunião pública do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 03 de setembro de 2016).

AFLIÇÕES

“…No mundo tereis aflições…” — João, 16:33

Meus irmãos, a paz seja conosco!

Turbulências de todo jaez movimentam os estados mentoemocionais de bilhões de seres na nossa Terra.

Processos que se conjugam, do indivíduo para o coletivo, formando um imenso painel de provas e aferições para todos.

O assunto, porém, não é novo para quem tem estudado as páginas sublimes do Evangelho de Jesus, mormente às claridades desse Consolador prometido por Ele e corporificado nos conteúdos imortais do Espiritismo Cristão.

Enfermidades e derrocadas financeiras; crises de autoridade e corrupções; conflitos íntimos e choques nas relações…  Tudo isso, em níveis diversificados de manifestação, tem fomentado nas almas o que denominamos por aflições e dores, visando à evolução geral do Orbe.

E se encontramos os que buscam fugir e se esconder desses quadros de luta e formação moral – seja pela eleição de vícios ou através da negação de Deus e de sua Providência sábia – encontramos, nos que se esforçam nos estudos e pelas meditações de melhor nível, a compreensão desses movimentos de vida, que se dão em louvor da perfeição de cada filho de Deus, então esboçada ou planificada por essas circunstancias, aparentemente adversas.

O plano físico é a oficina de trabalho para o Espírito ainda carente de lucidez e aperfeiçoamento.  É na crosta terrena que encontram, pela reencarnação, o clima de serviço e aferição, capaz de qualificar seus talentos, suas habilidades, suas percepções.

A sabedoria é síntese de muitos esforços levados a efeito no tempo, na somatória de muitas existências físicas.

Por isso meus irmãos, o mundo terrestre não é o paraíso tão sonhado! E na crosta, reencarnados, todos somos constrangidos a nos esforçar por adotar o Bem já apreendido no plano de nossa consciência.

Como somos, por impositivo das leis do Universo, convocados a nos ajudar mutuamente, por efeito de interdependência, os mais experientes, os que já trilharam os caminhos que muitos começam a percorrer, volvem aos caminhos humanos e reafirmam aos que pelejam a mensagem de Jesus que nunca será esquecida: “Tende bom ânimo, pois Jesus, o Senhor nosso, venceu o mundo”!

Que o Nosso Pai nos fortaleça a fé e nos inspire o Seu divino Amor!

 

HONÓRIO ONOFRE DE ABREU

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner G. Paixão em reunião pública do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 24 de janeiro de 2015)

EVANGELHO E VIDA ABUNDANTE

Meus amigos, o Senhor nos abençoe!

Para grande parcela da família humana já afinizada com a proposta cristã, o Evangelho de Jesus tem sido roteiro de inspiração e encaminhamento a Deus, contudo, lidam esses irmãos com a mensagem dentro de uma perspectiva, nitidamente mística, como prática adorativa de natureza ainda exterior.

Ao longo dos séculos a Boa Nova tem sido idolatrada, mas não discernida com fins de justa aplicação aos esforços do dia a dia.

Em nossos círculos espíritas, o Evangelho Segundo o Espiritismo descortinou panoramas novos e fecundos acerca de textos extraídos de O Novo Testamento, e sem dúvida muito proveito a comunidade espiritista vem tirando dos estudos desta admirável obra de Kardec, mas urge avançar na pesca de luzes espirituais, naquele acervo de amor e sabedoria disponível nas parábolas e nos ensinos do Senhor enfeixados na segunda parte da Bíblia.

Emmanuel, nosso grande orientador, sempre presente e atuante, assinalou na sua obra ditada ao querido Chico Xavier, o aprofundamento e a continuação do que os Espíritos fizeram no terceiro livro já citado da Codificação.

De modo que, o Alto, sob a tutela de Ismael, aguarda de nosso esforço conjunto, desencarnados e encarnados, o trabalho de buscar a Vida Abundante nas lições do Cristo, agora com as facilidades que o Espiritismo oferece aos que possuem olhos de ver e ouvidos de ouvir.

Chega para os desiludidos das religiões materializadas e dos movimentos saturados de politica do Mundo, o instante de procurar Jesus em seu Evangelho de amor e luz com os instrumentos facilitadores que a Doutrina Espírita nos oferece.

Trata-se de um esforço que supera toda e qualquer argumentação filosófica ou exercício de exegese em bases de entendimentos puramente humanos.

Identificamos meus irmãos, as incontáveis carências das almas aí no Mundo; pessoas que, vivendo dentro de ambientes religiosos padecem da inanição espiritual. Criaturas que estão informadas dos temas doutrinários das religiões, e mesmo do Espiritismo, completamente deprimidas e saturadas emocionalmente, por ausência de vida.

A transição é o tempo das aferições, e se desafia com sobrepeso vibracional da psicosfera terrestre, enseja também, por manifestação da misericórdia do Pai, a iniciação ou a transformação dos cansados e oprimidos pelo Evangelho ensinado em nova luz.

Individualmente ou em grupos afins, pela necessidade ou por identidade vibracional, o estudo meticuloso e interativo da mensagem evangélica à luz do que o Espiritismo nos revela, é caminho de vida e Vida Abundante.

Tenhamos bom ânimo, pois, na criação de nosso Pai nada nos chega para destruição do Espírito, mas em favor de sua promoção a novos patamares de realização e felicidade interior.

Confiemos em Jesus operando no Bem!

 

HONÓRIO ONOFRE DE ABREU

 

(Mensagem psicografada pelo médium Wagner G. Paixão em reunião pública do Grupo Espírita da Bênção, em Mário Campos, MG, no dia 08 de agosto de 2015).